Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de julho de 2016

INGLÊS NÓS “SABE”



Antonio Maria Henri de Araújo
Um Office boy, com ticket da Brasilian Food, foi a um shopping center e entrou no Macdonald’s para comer um cheesburguer com Milk shake. Havia desistido do hot dog com diet coke. O atendimento não era do tipo self service e a fila encontrava-se enorme, pois estava em plena  hora do rush. Aproveitou então o nosso distinto para fazer um check up existencial, em busca de um feedback para sua vida. Estava vindo do Play Center, acabara de ouvir bastante dance music, mas seu sonho mesmo era passar um happy hour no Beach Park, com gatinhas de toplles. Mas isso é coisa de playboy, my brother! Night Club também nem pensar. Cadê o money? Nunca teve. Nem sabia o que era overnight, open market, leasing. No máximo, tinha enfrentado uma fila de banco do tipo on line. Gostava de futebol. Era fã do Edmundo, o bad boy. Via replay de Córner batido por center half. Adorava computadores. Já tinha até lido algo sobre mouses, softwares e internet. Outros hobbies: skate, vídeo game, rap e surf. Tinha vontade de ir a um drive in, mas cadê o carro? Assistia ao Cartoon Network na casa do vizinho e tinha nos Power Rangers e no Batman seus grandes heróis. Lembrou de repente que tinha se esquecido de tirar xerox de um paper sobre marketing. Tinha que dar um time. Estava trabalhando demais, um workaholic. Dava até uma de Disk Jockey nas horas vagas. Estava precisando de um relax. Quem sabe um novo love, com beijo de ice kiss, para chamar de baby? Entretanto, tinha também outra coisa que o intrigava, não sabia uma só palavra de inglês. E se a tal globalização da economia chegasse de fato? Não sabia do que se tratava, mas poderia vir com tudo. Disseram-lhe que ele tinha que aprender inglês. My God! Okay. Finalmente chegou a sua vez tirando-lhe do pesadelo. Pegou então a sua ficha e logo em seguida veio o rango. Não era fast food, mas até que não demorou tanto para sair. Ia dar um tempo para ele assistir ao show de uma banda cover dos Fevers. Saiu enfim da lanchonete dizendo bye bye para todo mundo.
Can you add more words in English which we’ve often used in our every day life?

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Homenagem aos que dedicam seu trabalho para nossa vida!!


Um dia para lembrar de nossa história, orgulho de ser filha de agricultores. Parabéns a todos os que cultivam e transportam nosso alimento.
 

Dia Nacional do Escritor



O Dia Nacional do Escritor foi instaurado para homenagear todos os escritores brasileiros e toda a produção literária feita no Brasil. Os livros são partes importantes no aprendizado de todas as pessoas. Conheça mais sobre o universo da literatura.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

domingo, 17 de julho de 2016

Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro


A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro busca estimular os alunos da escola pública a se interessar mais pela leitura e a escrever melhor. Professores e alunos realizam oficinas de escrita e leitura, a partir de material pedagógico distribuído aos professores inscritos.

Realizado pelo Ministério da Educação, em parceira com a Fundação Itaú Social e o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), o concurso procura contribuir para a melhoria da qualidade de ensino e para o aperfeiçoamento da escrita dos alunos das quarta e quinta séries do Ensino Fundamental (quinto e sexto anos do ensino básico de 9 anos), das sétima e oitava séries do ensino fundamental (oitavo e nono anos do ensino básico de 9 anos) e segundo e terceiro anos do ensino médio.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Coruja = Sabedoria

Por influência da mitologia grega, tanto que Atena, deusa da guerra e da sabedoria, tinha uma coruja como mascote. Os gregos consideravam a noite como o momento do pensamento filosófico e da revelação intelectual e a coruja, por ser uma ave noturna, acabou representando essa busca pelo saber. Há ainda outra explicação para tal relação, da qual, certamente, o animal não se orgulharia tanto. Com seus olhos grandes e desproporcionais, a coruja se tornou também símbolo da feiura. Numa língua nórdica antiga, ela era chamada de ugla, palavra que imitava o som emitido pela ave e que daria origem ao termo ugly, “feio” em inglês. “Assim, a coruja segue o estereótipo do sábio, que geralmente é tido como alguém mais preocupado com as divagações interiores que com a aparência externa”, diz o helenista (estudioso da civilização grega) Antônio Medina Rodrigues, da Universidade de São Paulo (USP). Mas não foi em todas as culturas que o animal se transformou em símbolo de inteligência.

No Império Romano, por exemplo, a ave era considerada agourenta e seu canto anunciaria a proximidade da morte. Além disso, outros animais também foram usados em civilizações diferentes para representar a sabedoria, como a tartaruga para os chineses e o salmão para os celtas.
Imagens: Internet

O Enem e a Língua Portuguesa


quarta-feira, 13 de julho de 2016

Seminário sobre Políticas e Práticas Inclusivas



SEMINÁRIO EM XANXERÊ DISCUTE EDUCAÇÃO PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA



"Compreender que todos somos diferentes e fazer uma reflexão sobre os desafios da inclusão escolar dos alunos com deficiência". Esses foram os temas abordados no seminário que reuniu 900 profissionais da educação em Xanxerê no dia 08 de Julho. Uma iniciativa da Assembleia Legislativa, por intermédio da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência. 


Com a mensagem “Todos somos diferentes”, a apresentação artística de alunos da escola Dom Oscar Arnulfo Romeiro emocionou os profissionais da área da educação durante a abertura do Seminário Políticas Públicas e Práticas Inclusiva “Um Novo Olhar”.


O evento proporcionou uma reflexão sobre os desafios da inclusão escolar e os processos envolvidos no ensino e aprendizagem dos educandos com deficiência, na rede regular de ensino. Durante todo o dia, os participantes acompanharam palestras sobre o assunto. 

Os dois palestrantes do evento debateram ainda as diferentes ações pedagógicas em sala de aula e a importância do professor no processo de inclusão escolar.

No período da manhã, o neuropediatra Clay Brites abordou o tema “Avaliação, diagnóstico e intervenção junto à pessoa com deficiência”. No período da tarde, foi a vez do terapeuta ocupacional Régis Nepomuceno Peixoto falar sobre “Praticas pedagógicas e inclusão”.

O seminário de Xanxerê foi encerrado com a apresentação da peça teatral “Pintura Viva”, encenada por alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Xaxim.
  video

Assembleia Legislativa de Santa Catarina