Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Sobre o Acordo ortográfico


Literatura

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (1865-1918) foi jornalista brasileiro, membro fundador da Academia Brasileira de Letras, ocupou a cadeira nº 15. Escreveu a letra do Hino à Bandeira brasileira. Como um dos principais representantes do Movimento Parnasiano (escola literária nasceu na França por volta do ano 1850 e tinha como principais características o positivismo e cientificismo da época, o que estava em oposição ao pensamento do Romantismo). 

Bilac valorizou o cuidado formal do poema, em busca de palavras raras, rimas ricas e rigidez das regras da composição poética.

video


Sua primeira obra foi publicada em 1888 "Poesias", apresentada em várias temáticas.

“Nel mezzo del camin...”, famoso poema de Bilac que retoma o verso de abertura do livro Inferno, que é a primeira parte d’A Divina Comédia, obra-prima do poeta italiano Dante Alighieri.

A preservação do estilo rígido na construção dos poemas é visto claramente na sua busca pela métrica e estrofação para uma regularidade clássica e precisa. A exemplo, pode-se citar o poema “Profissão de fé”, onde ele mesmo afirma a rigidez de sua norma.

Devido as fortes convicções políticas, “sobressaindo-se a ferrenha oposição ao governo militar do marechal Floriano Peixoto”. Em 1907, Bilac foi eleito pela revista Fon-Fon o “príncipe dos poetas brasileiros” e constitui a Tríade Parnasiana.
 (Fonte: Guia do estudante) 

Música Brasileira

Olavo Bilac

Tens, às vezes, o fogo soberano

Do amor: encerras na cadência, acesa

Em requebros e encantos de impureza,

Todo o feitiço do pecado humano.

Mas, sobre essa volúpia, erra a tristeza

Dos desertos, das matas e do oceano:

Bárbara poracé, banzo africano,

E soluços de trova portuguesa.

És samba e jongo, chiba e fado, cujos

Acordes são desejos e orfandades

De selvagens, cativos e marujos:

E em nostalgias e paixões consistes,

Lasciva dor, beijo de três saudades,

Flor amorosa de três raças tristes.

BILAC, Olavo. Poesias. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 23ª edição. 1964, p.263.

video

Comemoração Dia do Geógrafo

 Os fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem em nosso globo terrestre é a base de estudos dos geógrafos, atualmente uma das suas principais funções é auxiliar no planejamento urbano, no aproveitamento dos recursos naturais, contribuindo para que o impacto ambiental seja cada vez menor para a população. 

Com o passar dos tempos a Geografia foi se modernizando e ganhando espaço, além  das principais atividades em escolas e Universidades. Surgiu, por exemplo, o geomarketing tem como objetivo o estudo para alocação e planejamento das redes de serviço e comércio. 

Os geógrafos estão em diversas áreas de atuação, contamos com geografia médica ou da saúde, geografia de óleo & gás, nas obras do metrô, no trabalho com os resíduos sólidos, no saneamento, na energia, na regularização fundiária, na telefonia móvel em todas essas áreas podemos encontrar um profissional atuante da Geografia.
Parabéns a todos os geógrafos, que auxiliam em sua rotina diária a entendermos melhor o nosso espaço e a sua organização.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Dia Nacional da Mata Atlântica - 27 de Maio


No dia 27 de maio comemora-se o Dia da Mata Atlântica. A data marca a necessidade de barrar o desmatamento, recuperar o que foi degradado, ampliar o número de áreas protegidas, públicas e privadas, e melhorar a gestão daquelas que já existem.



É impossível falar da Mata Atlântica, uma das florestas mais exuberantes do mundo, sem usar superlativos para dimensionar sua importância e evidenciar sua urgente proteção.  

A floresta foi reduzida a 7% da área de suas primeiras descrições, no século 16, e, ainda assim, abriga 8000 espécies de plantas e animais endêmicos. 





A Mata Atlântica abrangia uma área equivalente a 1.315.460 km2 e estendia-se originalmente ao longo de 17 Estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí).


Hoje, restam 8,5 % de remanescentes florestais acima de 100 hectares do que existia originalmente. Somados todos os fragmentos de floresta nativa acima de 3 hectares, temos atualmente 12,5%. É um Hotspot mundial, ou seja, uma das áreas mais ricas em biodiversidade e mais ameaçadas do planeta e também decretada Reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional, na Constituição Federal de 1988. A composição original da Mata Atlântica é um mosaico de vegetações definidas como florestas ombrófilas densa, aberta e mista; florestas estacionais decidual e semidecidual; campos de altitude, mangues e restingas. 


                                                               (Fonte: http://www.wwf.org.br/)