Pesquisar este blog

sábado, 20 de janeiro de 2018

São Sebastião: o soldado da fé



Celebrado no dia 20 de janeiro, São Sebastião era um soldado do Imperador Romano, Maximiano no Ocidente e Diocleciano no Oriente. Nasceu em Narbona, na atual França, em 256 d.C., mais tarde mudou-se para Milão, na Itália. Estudou e acabou seguindo a mesma carreira militar do pai. Ali, destacou-se como um soldado fiel e assim foi subindo na hierarquia militar. Foi então transferido para Roma onde comandou a tropa de segurança do imperador. O período, é bom lembrar, foi um dos mais difíceis para os cristãos. Muitos foram mortos, outros presos, e outros tantos vieram a fugir. A perseguição foi intensa.
          Sebastião, em torno de 280 d.C., protegia os presos por serem cristãos. Sentia neles uma grande simpatia e não via crime em seu modo de viver a fé. Assim, levou muitos castigos, da morte, da prisão. Não demorou muito, foi traído por alguém. Para mudar sua postura, sua fé recebeu a promessa de promoção. Porém, não aceitou. Acreditava em Jesus e este era Deus. Já o imperador era um assassino, perseguidor, não era deus na sua convicção. Foi então condenado à morte. Foi amarrado ao tronco no estádio Palatino e flechado.
          Deixado quase morto foi resgatado por Irene, uma mulher cristã, que cuidou de suas feridas e o recuperou. Mais tarde, reiniciou sua defesa aos cristãos e foi preso novamente. Recebeu uma segunda condenação. Há quem diga que quebraram a cabeça com bolas de chumbo, outros afirmam que foi morto por açoite e jogado numa fossa para que nenhum cristão o encontrasse. Outra possibilidade é que ele teria aparecido à jovem Luciana indicando que seu corpo se encontrava num poço, enforcado. Sua sepultura está na Basílica de São Sebastião, em Roma.
          Que São Sebastião nos ajude a permanecermos na fé e defendendo a vida!

Pe. Cleber Pagliochi
Paróquia São Sebastião
Abelardo Luz, SC


sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Setembro Amarelo


Setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2015, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações.

No  link abaixo vai encontrar vários materiais bem produzidos pela Sociedade brasileira de psiquiatria.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Redação - Enem


 A redação do Enem exige o formato dissertação em prosa, o que significa que se trata de um texto argumentativo, que pede que o autor desenvolva uma ideia, um problema ou um questionamento com uma consideração final que deve estar de acordo com os argumentos expostos. É importante que o estudante saiba colocar ideias favoráveis e contrárias à sua própria opinião. A argumentação é a chave para um bom texto. Além disso, saber a estrutura do texto, que tem parâmetros bem definidos.

ASSUNTOS QUE MERECEM ATENÇÃO
Interpretação de textos (inclusive de gráficos, infográficos e figuras)
Literatura e arte (especialmente Romantismo, Realismo e Modernismo)
Gêneros textuais e suas características (compreender a função social do texto)
Variantes linguísticas e norma culta
Conhecimento de ambiguidade e classes de palavras
  

Para o seu texto não ficar confuso e para que seus argumentos fiquem claros, algumas dicas podem ajudar:

- Use uma linguagem mais simples, mas sem apelar para o coloquialismo exagerado;
- Não repita palavras desnecessariamente, pois o texto fica pobre e cansativo. Busque sinônimos, especialmente quando você está treinando em casa e tem tempo para fazer isso. O seu vocabulário vai aumentar e vai ficar mais fácil pensar em palavras alternativas durante a prova.
- Seja objetivo. Tente não repetir argumentos, dizendo a mesma coisa várias vezes. Preze pela qualidade do seu texto.
- O seu texto deve ter ao menos três parágrafos, um para a introdução, um para o desenvolvimento e um para a conclusão. O ideal é que o seu desenvolvimento tenha ao menos três parágrafos, dessa forma, você pode expor três argumentos diferentes para embasar a sua tese.
- Aponte soluções coerentes para o problema levantado, sem fazer críticas que não tenham fundamento.
- Por fim, releia o texto para corrigir pequenos erros e organizar a redação da melhor forma possível. Pense no seu interlocutor e se pergunte: “o meu ponto de vista ficou claro para o leitor?”.


AS TRÊS PARTES DA DISSERTAÇÃO
Introdução: o aluno deve usá-la para marcar, de modo claro e objetivo, a tese.
Desenvolvimento: usado para fundamentar a tese através dos argumentos. Cada argumento deve ser desenvolvido e explicado em um parágrafo próprio. Lembrando também que não se deve trabalhar com apenas um argumento.
Conclusão: encerra o texto. É onde o aluno deve concluir seu argumento e colocar a proposta ou solução para o problema exposto no tema.
  
Seis perguntas para uma Redação coerente

1. Qual o problema? 
2. Por que se trata de um problema? 
3. Quais as causas para tal problema? 
4. Há alguma solução? 
5. Como e por que colocar tal solução em prática? 
6. Como essa proposta pode, de fato, resolver o problema?

A PROVA PEDE UMA INTERVENÇÃO, NÃO UMA SOLUÇÃO

As questões sociais apresentadas na prova são frequentemente complexas e muitas vezes históricas – ou seja, já recebem atenção da sociedade e dos governos há muito tempo. Portanto, não se espera que o candidato, no Enem, apresente uma proposta que vá resolver a situação, mas sim enfrentá-la. E essa proposta não precisa necessariamente ser original e inédita. Ela pode envolver medidas já propostas no passado ou ampliar ações já adotadas (como aumentar o valor de multas, por exemplo). O importante é que essa proposta seja apresentada com bons argumentos.